OverClock
Sexta, 27 de Janeiro de 2023

GitHub atinge 100 milhões de desenvolvedores ativos na plataforma Sexta, 27 de Janeiro de 2023

GitHub atinge 100 milhões de desenvolvedores ativos na plataforma

Quando o GitHub foi criado, entre 2007 e 2008, a comunidade de desenvolvedores e interessados em programação vinha crescendo. A plataforma logo foi adotada por usuários que procuravam uma comunidade impulsionada pela Web 2.0, que fomentava o engajamento e a interação de ideias e projetos colaborativos, em um ambiente independente e aberto à participação de todos.

Pouco mais de 16 anos depois, a plataforma cresceu, foi comprada pela Microsoft em 2018 e, além dos códigos abertos, também abriga projetos privados e ganhou outras funcionalidades e recursos — mas ainda mantém a aura independente e uma comunidade bastante ativa, que cresce constantemente a cada ano.

Segundo o próprio GitHub, em 2019 a rede social de hospedagem de programação havia definido a meta de atingir 100 milhões de usuários até 2025. E a plataforma celebra o fato de ter alcançado esse objetivo dois anos antes.

-
Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.
-

“Estamos felizes em compartilhar que agora existem oficialmente mais de 100 milhões de desenvolvedores usando o GitHub para criar, manter e contribuir com projetos de software, o que representa uma grande responsabilidade para nós em continuar colocando os desenvolvedores em primeiro lugar”, afirma Thomas Dohmke, CEO do GitHub.

E o Brasil tem tudo a ver com isso: de acordo com o relatório sobre código aberto Octoverse 2022, realizado pelo próprio GitHub, nosso país tem a terceira maior comunidade de desenvolvedores fora dos Estados Unidos com maior crescimento na plataforma, com mais de 3 milhões de programadores brazucas na rede, apenas atrás da Índia e da China — somente no ano passado, foram mais de 924 mil novos brasileiros entraram no GitHub.

Mudanças e expansão no GitHub

De 2007 para cá, muita coisa mudou, e a diversidade, seja de gênero ou etnias, expandiram as aplicações, projetos e ideias, que compartilham códigos, documentos e design para vários setores — inclusive desenvolvimento de pesquisas científicas.

Segundo o GitHub, em 2015, quase um terço das pessoas desenvolvedoras registradas no GitHub eram da América do Norte. Atualmente, as regiões de crescimento mais rápido estão na América do Sul, Sudeste Asiático e na África.

“Atualmente, desenvolvedores e desenvolvedoras estão escrevendo código, contribuindo com documentação e criando novas soluções para resolver novos problemas globalmente, trabalhando, por exemplo, para criar software para hospitais, produção de filmes, e até mesmo para a NASA e o projeto PyTorch, que alimenta aplicações de inteligência artificial (IA) e machine learning”, destaca Dohmke.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:


Compartilhe: https://tinyurl.com/2hob8len