OverClock
Terça, 18 de Dezembro de 2018

Carregadores sem fio (wireless) alternativos podem danificar a bateria? Terça, 18 de Dezembro de 2018

Carregadores sem fio (wireless) alternativos podem danificar a bateria?

Carregamento sem fios não é um conceito propriamente novo, mas está apenas começando a se popularizar. Parte desse, digamos, “atraso” aconteceu porque fabricantes esperaram a Apple decidir qual padrão usaria, adaptando sua produção de acordo. Conforme uma série de rumores indicavam, a empresa acabou optando pelo padrão Qi, já utilizado pela Samsung, além de ser o mais popular até o momento.

A adoção do padrão Qi por parte da Apple foi a sinalização que muitos fabricantes necessitavam — automóveis, inclusive —, e hoje temos uma enorme quantidade de carregadores sem fio de terceiros. Mas será que eles representam algum perigo? Vale a pena economizar com eles em vez de ir atrás de uma versão oficial? É isso que vamos tentar responder neste artigo.

Caso a caso

Não há uma resposta que inclua todos os modelos, já que há níveis diferentes de qualidade em cada marca. Basta considerar que a própria Apple Brasil não vende um carregador da empresa por aqui. É o caso do Boost Up, da Belkin, vendido pela bagatela de R$ 799. Por outro lado, temos modelos vendidos por menos de R$ 20 em sites como Mercado Livre e OLX. Em outras palavras, um custo 40 vezes mais do que outro para fazer, em teoria, a mesma coisa.

Acima, um carregador sem fios da marca bem baratinho. Dependendo da quantidade, é possível comprá-lo por menos de US$ 2 cada um.

Como dissemos, não chega a ser uma tecnologia nova, mas está se popularizando de forma lenta. É o que aconteceu com o sensor de impressão digital: antes restrito a aparelhos mais caros, agora é praticamente onipresente.

Estamos em uma fase inicial, com ainda pouca competição, e muitos fabricantes aproveitam para cobrar valores exorbitantes nesse meio tempo. Mas isso significa que podemos adquirir modelos mais baratos sem riscos? É claro que não. Então como escolher a melhor opção?

Histórico do fabricante

Ainda que seja uma marca terceira, sabemos que uma empresa como a Belkin dificilmente vai arriscar sua percepção de marca anunciando um produto de baixa qualidade. Isso não significa que não seja a única. Marcas reconhecidos pela qualidade dos seus acessórios, sejam eles carregadores ou cabos de dados, certamente tomarão todas as providências necessárias para aproveitarem a demanda crescente de carregadores sem fio.

A própria Apple vende um carregador de terceiros. Por R$ 799, porém.

Isso inclui um controle de qualidade maior, certificações e preços mais interessantes, o que certamente acontecerá conforme a demanda aumenta, assim como a competição. Se você já experimentou uma marca e viu que se trata de um produto de qualidade, mesmo que de outra categoria, o risco de errar no carregador sem fios é menor. Não é uma questão de “fulanizar”: mencionamos a Belkin pois ela já está na loja da Apple. Pelo menos enquanto o AirPower não for anunciado.

Por outro lado, produtos mais baratos podem trazer riscos extras. Vários problemas são comuns a carregadores em geral, como esquentar demais, dar problema rapidamente ou prejudicar o aparelho. Há fabricantes que realmente jogam o preço lá em cima, mas tentar economizar demais em modelos desconhecidos pode chegar a danificar o seu dispositivo.

Conclusão

No fim das contas, os critérios da compra de carregadores sem fio de terceiros são os mesmos dos acessórios em geral. Há marcas que nunca utilizamos, mas sabemos que oferecem produtos de qualidade pelos comentários dos usuários que já os experimentaram. É uma questão de ler análises de cada um deles, além de checar a experiência de quem já adquiriu um deles.

Por enquanto só podemos especular qual seria o preço do Apple AirPower (provavelmente algo entre muito e ainda mais). Alguns rumores apontam que, apesar de usar o padrão Qi, será compatível somente com os produtos da Apple.

Em nossa pesquisa para este artigo, nós encontramos dois extremos de opinião. De um lado há quase um “terrorismo psicológico” por parte de uns (geralmente os fabricantes) dizendo que o preço alto é necessário pela qualidade geral e pelas certificações. Do outro, sites dizendo que qualquer modelo serve e que não há qualquer risco, mesmo que um carregador sem fios seja vendido por um custo irrisório por uma empresa desconhecida para carregar um iPhone XS Max.

É importante ser criterioso nessas horas: uma coisa é considerar (justamente) que alguns preços são de fato superfaturados. Outra, completamente diferente, é investir pesado no smartphone e economizar demais no carregador, seja ele sem fios ou não. É como ter um carro em perfeito funcionamento e arriscar abastecê-lo em um posto desconhecido com preço muito baixo: pode ser até que não aconteça nada, mas não deixa de ser um risco.


Compartilhe: http://tinyurl.com/y8a6jcrf