OverClock
Domingo, 17 de Fevereiro de 2019

Fortnite tem vitória legal em processo por “dancinha do Carlton” Domingo, 17 de Fevereiro de 2019

Fortnite tem vitória legal em processo por “dancinha do Carlton”

A Epic Games obteve uma vitória legal em uma ação relacionada ao game Fortnite quando o governo dos EUA negou uma patente solicitada pelo ator Alfonso Ribeiro sobre a conhecida “dancinha do Carlton”. O intérprete do personagem na série Um Maluco no Pedaço está processando a produtora do jogo, alegando ter seus direitos de autor quebrados pela inclusão dos passinhos no título.

Para o Escritório de Direitos Autorais dos Estados Unidos, entretanto, os movimentos são simples demais e não podem ser considerados uma coreografia. Apesar de ter levado em conta a personalidade do ator na sequência, com os “movimentos exagerados dos braços” e o fato de ele ter sido popularizado por Ribeiro, ainda assim as autoridades afirmaram que o trabalho coreográfico precisa ser “substancial” para que algo desse tipo seja registrado como propriedade de alguém.

 

A decisão também vem como uma boa notícia para a distribuidora 2K Games, que também estava sendo processada pelo autor devido à presença da dança de Carlton em uma série de games da série NBA 2K ao longo da última década. Os processos foram iniciados em dezembro do ano passado, com Ribeiro afirmando jamais ter sido contatado sobre a utilização dos passos nos títulos. Para ele, as empresas estariam se aproveitando de sua criatividade sem dar a ele a devida compensação.

A coreografia ganhou notoriedade por aparecer em diferentes episódios da série Um Maluco no Pedaço, protagonizada por Will Smith. O personagem de Ribeiro, Carlton Banks, costumava realizar os passos ao som da música It’s Not Unusual, de Tom Jones, em uma dança que virou marca do personagem e também acompanhou o ator, sendo reproduzida em outros programas dos quais ele participou, como o reality show americano Dancing With The Stars, até os dias atuais.

 

Ao comentar a decisão, a Epic Games voltou a pedir publicamente que o processo seja arquivado devido à falta de mérito. Para a desenvolvedora, a ação judicial de Ribeiro representa uma tentativa de censurar a liberdade criativa da companhia, além de uma tentativa de lucrar com um aspecto cultural popular, algo que iria contra a Primeira Emenda da constituição americana.

Ribeiro não é o único a processar a Epic Games por causa das dancinhas de Fortnite. Outras personalidades, como o rapper 2 Milly e os fenômenos da internet Orange Shirt Kid e Backpack Kid, também têm ações em andamento contra a empresa, todos alegando terem suas criações usadas sem autorização no game. O ator Donald Faison também criticou a desenvolvedora pelo uso não licenciado de uma coreografia de seu personagem, o Turk do seriado Scrubs, no título, mas decidiu não ir à justiça sobre esse assunto.


Compartilhe: http://tinyurl.com/y4kzlfg3