OverClock
Sexta-Feira, 23 de Fevereiro de 2018

IBGE revela sucesso na campanha da migração do sinal analógico para digital 23 de Fevereiro de 2018

IBGE revela sucesso na campanha da migração do sinal analógico para digital

O cronograma de desligamento do sinal digital começou ainda em 2016, quando 48,2 milhões de residências brasileiras já contavam com o conversor digital, 57% deles recebendo a transmissão de televisão aberta com a nova tecnologia.

Segundo dados do IBGE e da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) divulgados na última quarta-feira (21), esses números apresentam um crescimento de 12% em relação ao ano anterior, 2015, quando 45% dos domicílios contavam com o acesso digital.

O secretário de Radiofusão do MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), Moisés Queiroz Moreira, comemora o desempenho da campanha de desligamento do sinal analógico. "Os dados de 2016 mostram que estamos escrevendo uma série histórica no processo de desligamento analógico de televisão, e as pesquisas futuras vão registrar o sucesso desta iniciativa. Os levantamentos que fazemos antes de desligar cada região já mostram um cenário melhor", conta Moreira.

O Brasil é o único país a fazer o desligamento do sinal analógico e o remanejamento da faixa de 700 MHz de forma simultânea, tornando-se uma referência mundial para o processo.

Conexão com a internet

Em relação aos dados de conexão, também houve avanço em relação a 2015. Em 2016, foi registrado um aumento de 57,8% para 69,3% em todo o país. As regiões sudeste e centro-oeste são as que mais contam com acesso à internet, com 76,7% e 74,7%, respectivamente.

Artur Coimbra, diretor do departamento de banda larga do MCTIC, diz que o Brasil já conta com nível de acesso que se assemelha a países do centro-leste europeu, como a Polônia e a Rússia. "Já o acesso entre os jovens tem um número comparável aos países mais desenvolvidos do mundo. O Brasil está avançando no acesso à internet e se descolando da média dos países em desenvolvimento", conta o diretor.


Compartilhe: http://tinyurl.com/ycuc85d7