OverClock
Sexta, 27 de Janeiro de 2023

Apple tem vaga em São Paulo para testador de iPhones, iPads e Watches não lançados Sexta, 27 de Janeiro de 2023

Apple tem vaga em São Paulo para testador de iPhones, iPads e Watches não lançados

Ter em mãos as mais novas tecnologias antes de elas chegarem às lojas pode ser um trabalho dos sonhos, mas as exigências são muitas. Isso é o que a Apple deixa claro ao anunciar uma vaga de “Cellular Field Design Engineer” na cidade de São Paulo. O emprego pede para que o candidato tenha no currículo cerca de três anos de experiência na área e conhecimento profundo de distintos protocolos de celulares.

Logotipo da Apple
Apple (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A maçã apresenta a vaga perguntando se a pessoa quer impactar a vida de milhões de usuários ao ajudar a desenvolver produtos extraordinários. Em seguida, a empresa explica melhor sobre o que se trata o trabalho:

Você será responsável por avaliar os mais recentes sistemas de hardware do iPhone, iPad e Apple Watch, no campo, desde o protótipo inicial até os produtos finais, em diferentes tecnologias de rede e sem fio, incluindo criação / evolução de métricas de desempenho, pós-processamento e análise de registros de dispositivos do campo.

Pode parecer que é um dia a dia simples de usar os gadgets em seus estados iniciais e dar sua opinião, contudo, o processo é muito maior do que isso. Não basta apenas saber utilizar um smartphone ou tablet da companhia, por exemplo. O profissional precisaria analisar o desempenho para entregar relatórios concisos dos produtos.

Infelizmente, o salário não foi divulgado.

iPhone 14 Pro (Imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
iPhone 14 Pro (Imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Apple exige qualificações técnicas

Não é qualquer pessoa que pode assumir a posição na empresa. Para essa vaga, é necessário ter pelo menos três anos de experiência com testes “end to end” de tecnologias de celulares. Isso inclui preparação, teste de campo, além de debug e análise.

Também é importante possuir conhecimento profundo de protocolos de smartphones de LTE PHY/MAC até camadas mais elevadas. Ademais, partes mais “tranquilas” (preste atenção nestas aspas) como ter experiência em “controlar uma área funcional de aplicação ou produto com comunicação clara entre níveis múltiplos de organização” são requeridas.

Ter um diploma em engenharia elétrica, engenharia da computação, ciência da computação ou similar é uma necessidade. Se o candidato tiver mestrado, ele fica na frente dos concorrentes.

Por fim, habilidades de escrita e de fala estão presentes na lista. Para quem curte, 50% de seu tempo na Apple será viajando.

Ah! É claro que a pessoa deve ser ambiciosa e esforçada.

Em meio a onda de demissões, maçã se segurou (por enquanto)

Enquanto concorrentes como a Microsoft e o Google anunciaram milhares de cortes em seus quadros de funcionários, a Apple conseguiu se segurar.

Um dos motivos disso pode ser a cautela, algo famoso na companhia. Nem sempre a empresa se joga nas tecnologias e modas da indústria, freando seus investimentos e contratações. Essa falta de agressividade pode ter ajudado a manter os empregos de muitos profissionais.

Além disso, um dos outros motivos pelos quais a marca não fez uma demissão em massa foi a sua falta de interesse no tal metaverso. Diferentemente da Meta, a maçã não investiu rios de dinheiro na tecnologia e em sua ideia.

É claro que a crise econômica está aí, o que pode obrigar a companhia liderada por Tim Cook a desligar funcionários, mas por enquanto, ela ainda está ilesa dessa situação.

Apple tem vaga em São Paulo para testador de iPhones, iPads e Watches não lançados


Compartilhe: https://tinyurl.com/2g8kz29d