OverClock
Segunda, 22 de Outubro de 2018

Vaga sugere que Uber está agendando testes para entrega de refeições com drones Segunda, 22 de Outubro de 2018

Vaga sugere que Uber está agendando testes para entrega de refeições com drones

A Uber está querendo se juntar à uma lista cada vez maior de empresas que estão usando drones para fazer entregas de comidas. No caso, a companhia deseja integrar a tecnologia ao UberEats, seu serviço de entrega de refeições e a expectativa é que os primeiros pedidos de sejam entregues logo no começo de 2021.

A Uber é mais conhecida por conta de seu serviço de corridas, e há pouco menos de três de anos, lançou o UberEats, serviço focado na entrega de refeições. No começo deste ano, a empresa já havia revelado que estava estudando utilizar drones para entregar as comidas. E então, neste final de semana, um anúncio foi visto no Wall Street Journal, sugerindo que a companhia já tem seu primeiro teste com entregas via drone agendado.

A vaga procura por alguém com “conhecimentos de voo e treinamento” e o cargo será exercido na cidade natal da Uber, em São Francisco. Com o anúncio feito no jornal, a empresa já retirou a página do questionário do ar, apesar de ele ainda poder ser visualizado no LinkedIn. Um representante da companhia afirmou que a publicação “não necessariamente reflete” o que eles buscam, já que a procura está bem no início ainda.

O anúncio cita que o objetivo do cargo é desenvolver “padrões, procedimentos e treinamento enquanto reduz o risco operacional de todos as operações de voo da UberExpress” — sendo este o nome que a companhia está usando internamente para o projeto base de expansão de entregas com drones.

A pessoa que for selecionada para o cargo também terá que “permitir operações de voos seguras, legais, eficientes e escaláveis para voo de entrega em 2019 e operações comerciais de mercados múltiplos até 2021”. Para tanto, a Uber construirá ainda uma plataforma para os drones, incluindo as máquinas, capazes de carregar as entregas.

Por outro lado, a companhia precisará checar como irá lidar com as questões regulatórias, já que muitas empresas, tais como a Amazon, também querem usar drones para fazer suas entregas e, no entanto, a Administração Federal da Aviação (FDA na sigla em inglês), não liberou as operações comerciais com drones. O argumento da organização é a segurança e as licenças para tais plataformas.


Compartilhe: http://tinyurl.com/y8bm5e9m