OverClock
Sexta, 13 de Dezembro de 2019

Saiba como os planetas do Sistema Solar se movem com estes 3 vídeos didáticos Sexta, 13 de Dezembro de 2019

Saiba como os planetas do Sistema Solar se movem com estes 3 vídeos didáticos

Você já parou para pensar em como os planetas do Sistema Solar se movimentam (incluindo as inclinações em relação ao plano orbital ou a velocidade, por exemplo)? Com essa questão em mente, o cientista James O'Donoghue, ex-funcionário da NASA e que atualmente trabalha na JAXA (Agência de Exploração Aeroespacial do Japão) compartilhou alguns vídeos em sua conta do Twitter, que trazem à tona justamente as características orbitais de cada um dos oito planetas oficiais em nosso sistema.

No primeiro vídeo, O'Donoghue mostra a duração da rotação de cada um dos planetas: enquanto Mercúrio leva 58 dias e 16 horas para completar esse processo, Vênus demora 243 dias e 26 minutos para realizar o movimento de rotação. A Terra, é claro, leva as 24 horas (melhor dizendo, 23 horas e 54 minutos) que já conhecemos. Por sua vez, Marte leva apenas um pouco mais que a Terra: 24 horas e 36 minutos. Jupiter é bem ligeiro no quesito rotação, terminando o movimento em apenas 9 horas e 55 minutos. Saturno vem logo atrás, com 10 horas e 33 minutos. Urano, por sua vez, leva 17 horas e 14 minutos, enquanto Netuno cumpre a rotação em 16 horas.

NEW: Relative rotation rates of the planets cast to a single sphere (with apologies to Mercury/Neptune)#SciComm pic.twitter.com/qRwEkRuYz4

-
Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.
-

— Dr James O'Donoghue (@physicsJ) 8 de dezembro de 2019

Em seguida, por meio de outro tuíte, o cientista mostra não só a velocidade com que cada planeta se move em comparação ao outro, mas também as inclinações em relação ao plano orbital. "Na escala: 8 planetas + 2 planetas anões! Objetos em escala relativa em tamanho e velocidade de rotação. As inclinações para cada planeta são encontradas pela regra da direita - feche a mão, mantenha o polegar afastado: a direção da rotação é dada pelos dedos, enquanto o polegar aponta para o norte", explica O'Donoghue na legenda que acompanha a publicação. Com isso, é possível acompanhar como é que é, "na prática", a rotação de cada um dos planetas:

TO SCALE: 8 planets + 2 dwarf planets!
Objects to relative scale in size and rotation speed. Tilts for each planet are found by the right-hand rule – close your hand, keep thumb out: rotation direction is given by fingers, while thumb points north. 10 hours passing each second! pic.twitter.com/qkAl9gqs1N

— Dr James O'Donoghue (@physicsJ) 9 de novembro de 2019

Por sua vez, em um terceiro tuíte, O'Donoghue explica as velocidades relativas da órbita. Em outras palavras, o cientista compara a Terra em relação à sua órbita ao redor do Sol com a órbita do Sol ao redor da Via Láctea e a velocidade da Via Láctea por meio da radiação cósmica.

TO SCALE: 8 planets + 2 dwarf planets!
Objects to relative scale in size and rotation speed. Tilts for each planet are found by the right-hand rule – close your hand, keep thumb out: rotation direction is given by fingers, while thumb points north. 10 hours passing each second! pic.twitter.com/qkAl9gqs1N

— Dr James O'Donoghue (@physicsJ) 9 de novembro de 2019

E se você achou interessante saber a diferença da rotação dos planetas, talvez também queira entender a origem mitológica dos nomes de planetas e luas do Sistema Solar. E não deixe de acompanhar a cobertura diária que o Canaltech faz sobre Ciência e Espaço!

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:


Compartilhe: https://tinyurl.com/qmvxrjp